diHITT - Notícias PARAneura: Dezembro 2011
domingo, 18 de dezembro de 2011 8 PARA comentar

PARA você que lê


 Enquanto dormem, tranco-me no quarto com barulho mínimo já que o mundo dorme.
 Apoio-me busco as letras para compor agua.. Estou com sede.
 A escuridão do quarto me faz pensar em coisas que as palavras não descrevem.
 Meu mundo. A escuridão à volta, mas um foco de luz a minha frente, que faz claras as letras que devo usar e as faz aparecer deixando-me leve, um pouco leve.
 O peso que carregava não mais me faz encurvar.
 Não sei realmente se é bom o que sai daqui, da minha alma, do meu corpo, do tempo que me resta.
Gosto de saber que você lê que gastou tempo para me ler, me ouvir, me fazer um pedaço do que você esta construindo pra si.
Se não fala nada, também não penso nada ou penso quem é você? Será que posso        conhecê-lo?
 Se falar encontro-me com você e compartilho coisas tão minhas, mas que vejo que estão com você também.
 Não  tenho algo meu, ele esta com você em algum lugar do mundo.
 Vejo seu rosto e sei onde moras.
 Mas se não souber? Se nunca ver sua face, se você ficar onde esta até a areia da ampulheta cair totalmente?
Fico feliz, pois guardei nas minhas lembranças um pedaço seu.. um pedaço meu, um fruto dos tempos de colheita.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011 4 PARA comentar

PARA uma ida


Quando se vai, pra mim há tristeza, ir te abre o medo do novo, a distancia de quem te ama, a angustia da solidão.
 Vou só e deixar minha casa, meu canto é como deixar algo essencial para a vida.
 morro então e espero que eu possa renascer em outro canto, em um outro lugar, bem distante da panela de ferro de minha mãe.
 Nem sei o que sinto, as vezes alegria, as vezes profundo pesar e a voz interior sempre diz é o melhor.... é preciso.
 Vou, venho, não completa, pois minha terra não me deixou partir inteira
quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 5 PARA comentar

PARA ir


Pra onde vai?
 Não se tem casa certa e o pouso e longe demais para alcançar.
Fica-se estático e dizem que não viveu
 Corre as pressas e dizem que devia ter parado
 Compram-se bens e os chama de seus, finca os pés no chão e dizes que é  teu lar
 Mas ao fim do dia  se pergunta
 Pra onde vai?
O vento  aponta mais direções que a rosa dos ventos pode mostrar
 E um grito causa eco
--- Pra onde se vai?
Alguns caem do abismo, outros tentam passar o ele e perguntam.
 Porem nem se  sabe se existe resposta.
 Pra onde se vai?
 Fecham-se os olhos e acredita-se q existe resposta.
  melhor assim.

 
;