diHITT - Notícias PARAneura: PARA umas idéias tortas
domingo, 4 de março de 2012

PARA umas idéias tortas


Sempre penso porque escrevo, as ideias percorrem meus pensamentos tão rapidamente que antes mesmo que  eu as racionalize, elas já estao na ponta dos meus dedos seja no digitar ou no escrever a tinta.
 Penso o que me  move...
   Deveras que seja a felicidade, o amor correspondido, a alegria.
 No meu escuro é que me acho, me agacho e fico ali  como clarice fazia.
 Melhor estar triste do que está vazio, o vazio não inspira, ele te reduz, te poê como pó entre todos os outros.
 Mas quando estou triste, seja por um amor que  não era amor, pelo fracasso ou pelo vicio de simplesmente estar triste, as coisas  maximizam-se,  ficam tão intensas e brutas que a gente treme e estremece.

 Já vi gente com preguiça de sorrir, "--melhor uma cara emburrada do que um sorriso  aberto", este gasta mais arte,  mais brilho.
 Na verdade não gosto de estar triste, mas a felicidade não existiria sem ela não, um duo  do triste e alegre.
Sabe , acho que a tristeza é realmente necessaria, dou forma a minha dor com essas letras e no final acabo transpondo meus limites mais intimos.
 Viver é um exercicio de curar-se a cada minuto,
 Fere-se por tudo e estar ferido requer um ar triste.
 REGRA?
  Haa não existe regra para sentimentos, apenas se sente e pronto.
Tem gente que se mata, tem gente que bebe, tem gente que escreve.
 Minha rima não esta pronta e nunca será perfeita, minha tristeza é torta e me faz compor traços que às vezes nem eu os reconheço, as vezes eu não me reconheço.
 Estou aqui, na madrugada em meio a escuridao e um ponto de luz me remete a pensar, a desejar estar melhor amanha, mas feliz, plena sem palavras, sem letras.

5 PARA comentar:

aRTISTA e aRTEIRO - Rubem Leite disse...

Gostei principalmente quando diz "penso porque escrevo". Eu acho mais fácil concatenar as ideias no papel do que na cabeça. Seu texto ficou meio filosófico. E o trecho "Penso o que me move" é muito interessante, pois o uso do "o" e não do "no" nos arremete à sua tentativa de descobrir o que lhe move.

R. R. Barcellos disse...

"Minha rima não está pronta e nunca será perfeita, minha tristeza é torta..."

Poesia pura. Beijos.

Anônimo disse...

Ótimos textos, parabéns!

eduardolacerda@mandic.com.br

Vau... disse...

agora sou um seguidor seu... que tal me seguir também??? kkkkk

prof. Ranieri Damasceno disse...

"Viver é um exercício de curar-se a cada minuto..."

Belo pensamento (e conforto, de certa forma), para almas sensíveis... percepção muito madura da importância da tristeza em nossas vidas... uma dualidade necessária, entre outras tantas.

Postar um comentário

PARA quem passar! Obrigada

 
;