diHITT - Notícias PARAneura: Junho 2011
quinta-feira, 30 de junho de 2011 6 PARA comentar

PARA um video

Um amigo me mandou um video que achei interessante... De tão simples se tornou complexo e assustador. Pensei muito e me faltavam ideias, um vazio, um medo de continuar.
Somos gentes,,,, apenas gentes, respiramos, comemos e temos desejos, alegrias, depressões, somos crueis e amorosos e um monte de coisa que poderiam encher essa pagina.... Isso tudo para dizer que fazemos parte de um todo.... Somos gentes... apenas gentes... que nasce e também morre igualmente diferentes....


http://www.youtube.com/watch?v=pgCkC1BultQ&feature=player_detailpage
o link
1 PARA comentar

PARA viver e morrer

Deitada na cama, olhos fixos, mãos na altura da barriga, pareço morta, não escuto , não vejo.. não falo... penso que não penso mais... Eles dizem que ainda respiro e lá no fundo existe batidas de um chamado coração..... Acho mesmo que vivo ainda estando morta...



Ainda há um fio de vida
Pergunto: Por que viver...
Respondo: Por que então morrer.....
Agarro o fio que foge de mim e começo a tecer
um pedacinho de vida.... não sei bem ao certo porque me convenci
acho que por um instante fechei os olhos e vi o cheiro do mato, ouvi estrelas no céu e abraço de mãe, beijo de amor, vida,,, é vida ... o corpo vibra a vida....
Me permito então não morrer e experimentar todos os verbos que o português me permitir viver, não desisti de tecer,,, ainda vale a pena.
terça-feira, 21 de junho de 2011 2 PARA comentar

PARA uma história


Moça arrume a mesa que já vou jantar.. quero do bom e do melhor... o que o dinheiro possa pagar coloque nessa mesa.




Moça me farte na ceia e recheie bem a sobremesa... tenho fome e sede e quero logo sobejar..




Se for pedir demais, ainda peço pois tenho como pagar, depois do jantar, fique aqui, fazemos um belo par... te convido a bailar sobre este chão encerado e debaixo de um céu cheio de estrelas...


Fazê-me carinhos, me sinto protegido em seu ninho.. acreditando que me amas,.. já que seus olhos me remetem as chamas...


Meu corpo cansado rejeitas a madrugada e pedes moça que me faça companhia, faça também a cama, deixo-a para dormir, sei que não vais embora... não as de ir quando o sol surgir, quero que fiques comigo moça, até onde a estrada nos permita seguir

Porém acordo e vejo que a moça não está mais no quarto, sala ou cômodo que possa encontra-la. Fecho os olhos e decido que foi sonho, sigo em desespero até a janela e sou despertado por um desvario que mostra o bilhete pregado


----Querido Senhor, dou cabo a esta poesia, pois minha rima se encerra ao raiar de um novo dia.


Meio que tonto retorno a vida seca, sem amor, sem melodia, sem a moça que deu um belo encanto a uma noite fria e sombria , indo embora e me lembrando só que ainda me resta a dor.

Mais ainda espero que o sol se vá a noite chegue e eu possa mais uma vez me fartar no jantar.
sexta-feira, 17 de junho de 2011 3 PARA comentar

PARA a dor






É uma dor intensa, uma cólica que vai e vem... Vai e vem...
Enfermidade que toma conta do corpo da gente...
Espera-se estar curado e por instantes não sentes o coração apertar e doer....
Vem mais uma lagrima, escorrendo dos olhos e sem perceber molha sua face...
Quando é colhida pelas mãos tremulas, sente o seu corpo vibrar.. Gritando de dor..... Ele diz .. Ainda dói...

Procuras remédios, lê, sai com amigos, ri de piadas e segue a vida como se seu corpo estivesse fechado, intacto, pleno, porém ao anoitecer, na solidão de seus pensamentos.... Vê que estas só, do silêncio sai os sussurros de sua dor.
Sabes o que irá te remediar, conhece a cura, mas sabes também que a própria cura te mataria...
Preferes sentir dor.....
Perguntas se um dia isso vai acabar... Se vai esquecer, reerguer... não escuta resposta... é só uma dor que vai e vem..... Ainda dói.
Eles pensam que estais sã, mas você sabes que não estas.. Escondes suas chagas... Ainda dói, ainda choras calado.. Ainda sofres...
Mais vive enganando a dor.. Se fazendo de forte,,, há dias bons.... Há dias ruins... Dias que és forte e dia que cai de cama... Mas em todos esses dias, não há um que não a sintas e diga: como dói essa dor.
terça-feira, 14 de junho de 2011 0 PARA comentar

PARA o começo e o fim


João só sabia que amava Zumira!

Ele não sabia tocar, mas ela se encantava com suas melodias de uma nota só, foi assim que a conquistou no primeiro dia.

Zumira em um domingo pela manhã, despedaçou o coração de João- Disse que não o amava pela última vez.

Sentada na grama ela ouvia ele declamar as poesias que causavam êxtase em seu corpo, nesse furor de sentimentos sonhava com os filhos, com a casa, com o futuro dos dois.

João pela última vez disse que amava Zumira, foi para casa, sem coração, sem alma e com lágrimas que duraram durante toda a noite.

Eles se abraçaram deitados, e começaram a contar estrelas, eram muitas como os seus sonhos..... iluminados pela lua

João não viu mais Zumira, apenas uma coisa guardou desse amor: as memorias de um dia feliz com sua amada.


Ele a amava, para os outros não era o rapaz certo, mas para ela era o rapaz torto mais certo que já vira... a procura se encerrara, encontrou seu contador de estrelas

Zumira foi em busca de seu amor, depois de João vieram outros, ela só queria amar e não ia desistir de procurar... até achar!
quarta-feira, 8 de junho de 2011 2 PARA comentar

PARA os sons da madrugada

Sempre gostei do silêncio para escrever.. por isso escolho a madrugada... mas naquele dia não havia silêncio........



OUÇA...... OUÇA

ESCUTE.... ESCUTE O SOM

03:27 da madrugada... sabádo....ideias, todos dormem na Cairo e eu começo a escutar...


..................apito de trem... hei um carro que passa na rua.. buzina da moto....cachorro latindo,,, galo cantando;;; outro cachorro começa a latir.... um barulho intenso de um caminhão que corre lá fora..., galinhas cacarejando, um tec na varanda, um zumbido de mosquito..... lá longe um cricrilar de grilo.....
o cachorro não parou de latir, a vizinha de cima tossiu, a barriga roncou, o barulho de coçar a nuca , o nhec da porta do armário que se abriu..

o cachorro , o galo, a galinha, a moto , o caminhão, tudo ao mesmo tempo, uma sinfonia no silêncio.... Que silêncio, não tempo, não silêncio... as vozes e sons tem que explodir... pois já esta quase amanhecendo.... são quase 4.
 
;