diHITT - Notícias PARAneura: Janeiro 2011
quarta-feira, 12 de janeiro de 2011 1 PARA comentar

PARAjucaII


E seus traços penetravam em minha memoria, sua voz delicada eu imaginara, seu andar discreto que me envolvia em um bailar pra lá e pra cá, sua pele suave com cheiro de erva do campo. Seus vestidos eram simples, mais com um toque feminino bonito de se ser, tecidos leves, com cores claras e estampas de flores.Ela era linda creio eu, meiga e cheia de candura.
Gostava de passear na relva descalça e depois ir pra lagoa onde colocava seus pés a beira da agua e jogava pedras na agua observando os movimentos que a agua fazia ao receber as pedras.
Queria casar de branco debaixo de um carvalho antigo que tinha em seu imenso quintal, queria alianças de plástico, aquelas que vem com pirulitos, afinal não precisava de uma jóia pra firmar um laço com seu amado.
Queria filhos e uma casa simples, mas não abria mão de que nela existisse um fogão de lenha, pois gostava de ver a lenha queimar, as fagulhas, o cheiro da brasa penetrando em suas narinas.
Assim era Ana! Assim era Ana?, não sei poucas vezes a vi, sei que dentro de mim ela era assim.
sábado, 8 de janeiro de 2011 0 PARA comentar

PARAsofrimento

Quero parar de sofrer, é doença, é angustia, é vontade, é auto destruição, que coisa é essa que me atemoriza, me destroi, talves eu goste de sofrimento, não quero parar, ou o sofrimento é a única coisa que me aproxima daquilo que não quero esquecer, daquilo que acende, reacende, apaga, afaga. Eis que vejo o sol negro, e a lua sem cor, talves me acostume com isso, ou talves alguém pinte de novo minha aquarela que foi manchada, tem borrões, tem desespero, mas ainda tem vida.
PARA sofrimento.
quinta-feira, 6 de janeiro de 2011 0 PARA comentar

PARAjuca


Meu nome é Juca, sou um personagem que ganhou vida pra dar vida aos sentimentos que não são meus.
Tenho 18 anos e há 18 anos sou apaixonado por Ana, aprendi a amá-la vendo-a nas frestas de minha janela. Aprendi a ler seus gestos e a compreendê-la através de expressões corporais.
Na verdade não vivo a vida que eu imaginava, minha mãe me programou desde o ventre e por esta razão realizo suas vontades.
Não tive aquele período de rebeldia que todo adolescente tem, tive aulas de piano, de artes plásticas, de musica erudita.
Não culpo minha mãe, ela me ama e confesso que me ensinou um pedaço da poesia da vida. Mas Ana se tornou minha propria poesia, meu sonho de hoje e minha historia de amanha. Sera que ficarei com Ana, haaa misterios, sei que ficarei com lembrancas de seus sorrisos mais sinceros e meus versos de amor!
quarta-feira, 5 de janeiro de 2011 0 PARA comentar

PARAele

PARAele meu pensamento, meu cheiro, meu coração, minha companhia, PARAele minhas oracoes a Deus, minhas prosas mais intimas, meus desesperos insensatos, meu sorriso mais sereno, minha lágrima mais triste, minha pulsação mais forte, meus calos da caminhada e o suor do meu trabalho. PARAele nada mais que um amor doce, puro e tranquilo.
0 PARA comentar

PARAtudo

Pare o mundo que eu quero descer, pare o sofrimento, a angustia da fome, a tristeza de um tudo vazio, o mundo e cheio de vasos cheios de vento que enganam os olhos , mas n preenchem o s2. Pare o mundo que eu quero descer, descer da inveja, do rancor, do tudo vazio. Que esse tudo seja freado por pouco, porque desse pouco eu me encho e percebo que a felicidade 'e apenas um estado de espírito.
1 PARA comentar

PARAamor

Não sei se esse bicho homem que sou, foi feito para o amor, sei que ele o traz no peito, nasce marcado e predestinado para vivê-lo, porem este que os poetas fazem rimas e mais rimas, não pode ser explicado através de palavras de homens; é incompreendido frente às lagrimas e sorrisos.
Só sei que ele vem quebrando as barreiras, dilacerando os corações, aquecendo a alma, aproximando-nos do abismo.
É ruim amar, pior talvez seja não amar e nunca ter experimentado esse sentimento. Um mal necessário.
Ai dos apaixonados; daqueles que esperam na companhia de uma triste solidão.
Bom mesmo e amar sem medo, sem culpa, sabendo que não é um ateu no amor.
 
;